Postagens

Mostrando postagens de Março, 2011

Estreias de abril

Imagem
Amanhã começa mais um mês e pra completar é sexta-feira, dia de estreias nas telonas. Então, pra facilitar nossa vida, reuni aqui os filmes que entram em cartaz. Ainda não assisti nenhum deles, então fiz só um resuminho básico mesmo. À medida que for assistindo, vou comentando aqui. Ah, incluí na lista o “Rio”, animação brasileira que só estreia a semana que vem, mas como já está dando o que falar e eu já estou muito afim de assistir, acrescentei também.
As mães de Chico Xavier
Estreando na véspera dos 101 anos do médium, este filme é o quarto na linha espírita do cinema brasileiro, após “Bezerra de Menezes”, “Chico Xavier” e “Nosso Lar”. Conta o drama de três mães que veem suas vidas se transformarem após receberem mensagens psicografadas por Chico Xavier. Com Nelson Xavier, Herson Capri, Caio Blat,Tainá Muller e Vanessa Gerbelli



Fúria sobre rodas
Durante três dias, antes da próxima lua cheia, Milton, criminoso que volta do inferno, tem a missão de acabar com um culto de magia que assass…

Sexo e polêmica em “Bruna Surfistinha”

Imagem
A história da garota de classe média de São Paulo que largou a boa vida na casa dos pais para virar prostituta começou a fazer sucesso quando ela criou um blog para contar as suas, digamos assim, experiências. Depois, virou livro: “O Doce Veneno do Escorpião”, que originou o filme "Bruna Surfistinha", sobre o qual comento agora.
Esse não seria o tipo de filme que à primeira vista ia me chamar a atenção, mas dada tamanha repercussão, com tantos comentários, tinha que ficar por dentro também.
Acabou calhando que essa semana ela estava no Pânico da Jovem Pan e escutei uns pedaços; e foi também no Tudo é Possível, da Ana Hickmann, naquele quadro com o detector de mentira (virou celebridade já!), então fiquei meio por dentro do filme, da vida dela, enfim.
Em primeiro lugar, vale comentar a atuação da Débora Secco. Ela encarnou muito bem e com primor a personagem, desde a Raquel Pacheco, com carinha de adolescente rebelde sem causa até se tornar a Bruna Surfistinha, “trabalhando muit…

Putz Grill – Oscar Filho

Imagem
Seguindo a onda dos stand ups e CQCs, assisti ao show “Putz Grill”, do Oscar Filho. O baixinho também batizado carinhosamente de pequeno pônei conta suas peripécias e coloca em ação um pouco do seu lado ator, com interpretações que não deixam ninguém ficar sério.
Bom, a linha é mais ou menos a mesma dos demais. Sozinho no palco, com microfone na mão, ele vai contando histórias engraçadas, muito engraçadas, (“meu Deus, como elas são engraçadas” rs) e cotidianas.
Preciso comentar que duas piadinhas foram iguais às do Andreolli, e acho que provavelmente todos os CQCs devem contá-las em seus shows.
O espetáculo não tem muitas novidades. É muito besteirol, com muita risada, algumas performances peculiares, como a imitação de um chinês morrendo... Todo o conjunto deixa o show bem divertido e quase tão bom quanto o do Diogo Portugal, que de todos que eu vi, para mim, foi o melhor.
Acho que agora dou um tempo desse tipo de comédia, daqui a pouco passa a “modinha” e começa a enjoar. Quero partir …

Amor?

Imagem
O documentário de João Jardim retrata histórias de relacionamentos amorosos, mas que com o passar do tempo se mostraram de alguma forma agressivos. Em comum, todos os entrevistados têm em seus casos sentimentos que misturam paixão e violência.
A principal questão levantada por “Amor?”, como o próprio título sugere, é se essas narrativas são mesmo histórias de amor, já que envolvem brutalidade.
O longa nos leva a pensar que relações assim podem ser vistas como doentias. Uma doença que envolve ambas as partes, tanto o agressor como quem é agredido.
Gravados por atores, os depoimentos verdadeiros são contados sequencialmente, intercalados com uma ou outra cena (classificadas pelo diretor como imagens poéticas), o que deixa o documentário com ar de ficção.

E, apesar de o filme ter sido encenado por atores, para preservar a identidade das pessoas, o que chama a atenção é a maneira como eles entraram nessas vidas. A maneira como as histórias são contadas é muito real, expressivo, bem bacana.
Não…

Você já pensou em escolher seus próximos filmes sem sair de casa?

Imagem
Com o surgimento das locadoras virtuais, isso já é possível

Segmento já bem estabelecido nos EUA e na Europa, as locadoras virtuais começam a chegar ao Brasil. E com diversas opções e planos que se encaixam às necessidades dos usuários, deve vir para ficar.
Aqui no Brasil, a primeira e mais consolidada é a Netmovies, que oferece 23 mil títulos, frete grátis e mais de 3.500 filmes on-line, com assinaturas a partir de R$ 9,90.
O processo é simples: você opta por receber os filmes em casa – faz uma lista, recebe, assiste e ainda pode trocar; assistir on-line – você seleciona o filme desejado e aperta o play, sem download, nem instalação de programas; assistir on-line na TV – algumas TVs e aparelhos de blu-ray tem opção de conectar à internet; ou ainda, assistir on-line no iPad.
A americana Netflix, de olho no crescimento do mercado brasileiro, já planeja aterrissar por aqui ainda neste semestre. O serviço será parecido com o da Netmovies, porém, sem a entrega dos filmes em casa, como na unid…

Tropa de Elite 2

Imagem
Ao bater recordes e ultrapassar barreiras do cinema brasileiro, “Tropa 2” mostra que não está para brincadeira

Como não consegui assistir no cinema, vi ontem à tarde o tão comentado e tão assistido “Tropa de Elite 2”. A sequência daquele que já tinha sido um arrasa quarteirão, conquistando os espectadores, fazendo com que eles repetissem pelas ruas expressões que o caracterizavam, como: “Pede pra sair!” conseguiu ainda, sem dúvida, superar o primeiro.

E não foi só na história, que está muito mais elaborada e dá um grande cutucão nos governos do nosso país, mas também nos números, o que prova essa superação. Foram mais de 10 milhões de espectadores, com arrecadação de R$ 57 milhões, o que o torna a maior bilheteria do cinema brasileiro. Um orgulho.

Ainda em meio às favelas do Rio de Janeiro, com mortes e traficantes, a história agora aborda um outro ângulo, e envolve autoridades como o secretário de Segurança Pública e o governador. E mostra como muitas vezes algumas atitudes são tomadas…

Um jornalista engraçado

Imagem
Semana passada tive a oportunidade de assistir ao stand up de Felipe Andreoli, um dos apresentadores do CQC. Ele fez uma única apresentação no Anhembi Morumbi dando continuidade a uma série de espetáculos de comédia que o teatro estava apresentando nas últimas semanas.
Aliás, não conhecia. Ele fica dentro do campus Brás da Anhembi Morumbi. O prédio é bem grande, todo aberto, com uma arquitetura meio moderninha, bem legal.
Gosto de assistir as matérias de Andreoli no CQC, acho ele bem divertido e inteligente, e estava curiosa para ver seu espetáculo.
Intitulado “Que História é Essa?”, o stand up conta a trajetória de Felipe Andreoli desde menino, quando decidiu seguir a carreira jornalística, até se tornar um dos integrantes do CQC.
Com um telão no palco e uma espécie de apresentação, tipo essas de Power Point que a gente usa em reuniões de trabalho, Felipe narra fato a fato tudo de mais curioso e mais engraçado da sua vida.
Entre muitas tiradas boas e outras nem tanto, o ápice foi quando, …