Como eu Era Antes de Você



Se tem um livro que deu o que falar nos últimos tempos, foi "Como eu Era Antes de Você." Todo mundo leu e se emocionou com a história de Lou e Will. Depois, como já tem acontecido bastante, o romance virou filme. Aí a galera enlouqueceu de vez!

Como metódica que sou, primeiro quis ler o livro. Mas tinha um desafio: ele era em inglês. Eu até que tenho uma compreensão de textos em inglês, mas nunca tinha lido um livro completo, com diálogos extensos e expressões que eu até então não conhecia. Encontrei a versão de bolso na Saraiva (que dá impressão que o livro é menor! rs) e mandei ver!

Não foi super fácil, mas também não foi impossível. Dava umas empacadas às vezes, mas não desisti!

Acredito que muito já tenha sido falado sobre essa história. Louisa é uma jovem de vinte e poucos anos que vive no interior da Inglaterra e trabalha como garçonete em um café. Ela leva uma vida simples e não tem muitas ambições para sua vida. 

Até que ela é demitida e precisa urgentemente de um novo emprego, já que ajuda os pais nas despesas da casa; é aí que sua vida cruza a de Will. Ele é um rapaz na casa dos trinta anos, de família rica, com cargo importante, bem sucedido e que adora viver: faz muitas viagens pelo mundo e curte umas aventuras. Porém, o destino pregou uma peça daquelas. Após um acidente de carro, ele ficou tetraplégico. 

Quando a mãe de Will anuncia uma vaga de cuidadora para o filho, Lou se candidata e acaba ganhando sua simpatia. No começo não foi nada fácil, já que Will havia perdido o gosto pela vida e muitas vezes não facilitava a convivência. Mas com o tempo, ambos foram percebendo que tinham a ensinar e aprender, um com o outro.

Nasce uma linda amizade, e dela, uma história de amor mais linda ainda. Will mostrou a Louisa todo o potencial que ela tinha e que poderia querer mais da vida; e ela fez Will enxergar o lado bom das coisas, e trouxe um colorido para uma vida que ele achava que já tinha acabado.

Só que essa história de amor não tem final feliz. Pelo menos, não o final convencional, que todo mundo espera rs. Acho que já disse isso aqui em outros textos sobre adaptações de livros para o cinema. O livro é infinitamente melhor. Ele detalha a história de tal maneira, que você consegue imaginar cada acontecimento; mas o filme, apesar de ser mais breve e deixar passar alguns detalhes, também é bonito e emociona.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Roteiros gastronômicos em Floripa

A intolerância no trânsito de São Paulo

Capitão América: Guerra Civil